Dermolipectomia Abdominal - Correção de abdômen | Clínica D'Alo
A Clínica D’Aló, liderada pelo cirurgião plástico Leonardo D’Aló, trabalha para cuidar do bem-estar dos pacientes, traduzindo seus anseios e expectativas em resultados.
leonardo dalo, clinica, cirurgia plastica, porto alegre
15542
page-template-default,page,page-id-15542,ajax_updown,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,qode-title-hidden,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5,vc_responsive

Dermolipectomia Abdominal

Correção de abdômen

A Dermolipectomia Abdominal retira determinada quantidade de pele e de gordura dessa região corpórea do paciente. Em consequência, há redução de peso, que varia de acordo com o volume do abdômen de cada pessoa.

Não são, entretanto, os quilos retirados que definirão o resultado estético, mas sim a proporção do abdômen de acordo com o restante do tronco.

Paradoxalmente, os abdomens que apresentam melhores resultados estéticos são justamente aqueles em que se fazem as menores remoções de gordura e de pele. Boa parte das mulheres, que apresentam certa flacidez do abdômen após um ou mais partos, apresentam excelentes resultados.

Em outros casos, em que o paciente está com o peso acima do normal, o resultado também será compensatório e proporcional ao restante do corpo. Entretanto, vale a pena lembrar que o excesso de gordura em outras regiões vizinhas ao abdômen ainda existirão. Geralmente é aconselhado ao paciente prosseguir com um tratamento clínico, fisioterápico ou programar-se para uma lipoaspiração complementar para melhor definição do contorno corporal.

Raramente a cirurgia de Dermolipectomia traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isso se deve ao fato de prepararmos convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação dessa cirurgia simultaneamente a outras.

A cicatriz resultante localiza-se horizontalmente logo acima da implantação dos pelos pubianos, prolongando-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo do volume do abdômen a ser corrigido. Ela é planejada para ficar escondida sob as roupas de banho e roupa íntima. A cicatriz umbilical não será mudada. O seu próprio umbigo será transplantado e, se necessário, remodelado.

Nos primeiros meses, o abdômen apresenta uma insensibilidade relativa, além de estar sujeito a períodos de inchaço, que regride espontaneamente. Nessa fase, poderá ficar com aspecto de “esticado” ou “plano”. Com o decorrer dos meses, tendo-se iniciado os exercícios orientados para modelagem, gradativamente se atinge o resultado definitivo. Não se pode considerar como definitivo qualquer resultado antes de 12 a 18 meses de pós-operatórios.

Até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características desse tipo de cirurgia. É preciso ter paciência e não se antecipar em relação ao resultado final antes do tempo previsto. Seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários.