Levantamento de Mamas - Mamopexia | Clínica D'Alo
A Clínica D’Aló, liderada pelo cirurgião plástico Leonardo D’Aló, trabalha para cuidar do bem-estar dos pacientes, traduzindo seus anseios e expectativas em resultados.
leonardo dalo, clinica, cirurgia plastica, porto alegre
15575
page-template-default,page,page-id-15575,ajax_updown,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,qode-title-hidden,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5,vc_responsive

Levantamento de Mamas

Mamopexia

As candidatas à esta cirurgia são mulheres que estão, em geral, satisfeitas com o tamanho de suas mamas, porém não gostam do aspecto flácido e caído. Já algumas pacientes apresentam insatisfação com o fato dos mamilos estarem apontados para baixo. Isso pode ocorrer devido à perda de elasticidade da pele, provocada por mudanças de peso, gravidez, amamentação ou apenas pelo envelhecimento e a ação da gravidade.

Algumas mulheres preferem se submeter ao procedimento antes de terem filhos, preferindo passar a sua vida adulta com as novas mamas e tratar quaisquer alterações no futuro. A cirurgia não interfere na possibilidade de amamentar, pois os dutos de leite permanecem intactos.

O objetivo da Mamopexia é elevar e remodelar as mamas caídas, retirando o excesso de pele e reposicionando os mamilos. O levantamento das mamas restabelecerá uma aparência mais jovem e sensual. Há mulheres em que as mamas se desenvolvem diferentemente, ficando uma maior do que a outra e, nesses casos, um implante de silicone pode ser colocado apenas de um lado, para igualar o tamanho, ao mesmo tempo em que se faz o levantamento, colocando as mamas na posição normal.

As incisões para o levantamento de mamas variam de acordo com quatro técnicas diferentes. O “T invertido” usa uma incisão ao redor da aréola, uma no sulco abaixo da mama e uma terceira incisão vertical juntando as duas. A segunda é a técnica “vertical”, com duas incisões, uma ao redor da aréola e outra vertical. A terceira é a técnica “periareolar”, que usa apenas uma incisão ao redor da aréola. A quarta técnica é a mama em L, em que a cicatriz resultante se apresenta apenas para a parte lateral da mama. A escolha da técnica apropriada varia de acordo com o tipo de mama e com a forma desejada. Mais incisões, em geral, significa que se pode conseguir uma forma melhor, e isso deve ser discutido com seu médico durante a consulta.

A cirurgia dura de duas a três horas e a anestesia pode ser peridural com sedação ou geral de acordo com o caso. Complicações são raras.

O tempo de recuperação é curto, podendo a paciente retornar ao trabalho em uma a duas semanas. Atividades físicas leves são permitidas somente após três meses e atividades físicas intensas após seis meses. O desaparecimento das cicatrizes pode levar até um ano.